24 de fev de 2017

Condenada por homicídio em Camacan é presa em Minas Gerais


Investigadores da 6ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin), com sede em Itabuna, prenderam na manhã desta quinta-feira (23), no município de Perdões, em Minas Gerais, a foragida Patrícia Souza dos Santos, condenada a mais de 24 anos de prisão pelo assassinato e tortura de Ariele Santos Silva, em 20 de janeiro de 2014, quando esta ainda era uma adolescente de 16 anos. O crime ocorreu na cidade de Camacan e contou com a participação de outras duas pessoas, que foram também condenadas e cumprem pena no sistema prisional. Erlan de Assis Silva foi condenado a 28 anos de prisão e Luiz Ricardo Santos Resende a 26. O crime gerou grande comoção na população da cidade. Patrícia, na ocasião, chegou a ser presa, mas acabou liberada pela justiça. A ação dos policiais da Coorpin/Itabuna, em Perdões, contou com o apoio dos departamentos de Polícia do Interior (Depin) e de Crime Contra o Patrimônio (DCCP), além da Polícia Civil de Minas Gerais. O mandado de prisão foi expedido pelo juiz Eros Pereira Cavalcanti, substituto da Vara Criminal de Camacan.

Camacan: Dia 25 de Março Welington Camargo na Igreja Admep




23 de fev de 2017

Porto Seguro: Sucesso da terra do descobrimento ''Saan Vagner''

Camacan: Prefeitura realiza serviço de poda limpeza e reposição de Lampadas em Leoventura

A Prefeitura Municipal de Camacan  através da Secretaria Municipal de Limpeza Publica vem realizando mutirões de limpeza em vários pontos da cidade, com a retirada de entulhos em locais impróprios como canteiros, e de podas de árvores. De acordo com o prefeito Oziel, é preciso que a população tenha consciência do descarte correto. O chefe  de limpeza publica , Valtecy, afirmou que esta semana será realizada uma ação de conscientização sobre a limpeza urbana em alguns pontos da cidade distritos e povoados.










22 de fev de 2017

Estados e municípios recebem nesta quarta-feira recursos do Fundeb



Os estados e municípios brasileiros recebem hoje (22), em suas contas-correntes, a parcela do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) relativa a fevereiro. Do total de R$ 918,97 milhões repassados, R$ 91,89 milhões (10% do total) devem ser destinados à complementação do pagamento do piso do magistério. Os estados que vão receber a complementação são Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí. De acordo com a lei, a União repassa a complementação aos estados e municípios que não alcançam, com a própria arrecadação, o valor mínimo nacional por aluno estabelecido a cada ano. Em 2017, esse valor é de R$ 2.875,03. O Fundeb é formado, quase totalmente, por recursos provenientes de percentuais de tributos, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), e transferências vinculadas à educação. Além desses recursos locais, ainda compõe o Fundeb, a título de complementação, uma parcela de recursos federais. Os recursos do fundo, repassados aos estados e municípios, devem ser aplicados na remuneração de profissionais do magistério em efetivo exercício, como professores, diretores e orientadores educacionais. A verba também pode ser aplicada em despesas de manutenção e desenvolvimento do ensino, compreendendo, entre outras ações, a aquisição de equipamentos e a construção de escolas. (AgenciaBrasil)

21 de fev de 2017

Porto Seguro: Prefeitura deixa o prata da casa Saan Vagner fora do circuito do Carnaval

Saan Vagner/Foto Facebook

Esse ano o evento acontece de 25 a 28 de fevereiro na Passarela do Descobrimento, sendo que, não terá o carnaval prolongado.
    Os artistas nativos de Porto Seguro não são valorizados segundo informações  de alguns artistas, há exemplo do grande Cantor Saan Vagner, eclético e muito querido por nativos e turistas na terra do descobrimento, Saan fez uma publicação em seu perfil de  Facebook, Confira o texto do Vocalista.



Veja também os milhares de comentários de fãs e admiradores reivindicando a ausência do artista no evento. 

Tecle na Imagem e veja.

FGTS não está depositado corretamente na conta de 7 milhões de pessoas

Mais de 7 milhões de trabalhadores não tiveram o depósito do FGTS feito corretamente, segundo a Procuradoria-Geral da Fazenda. Quase 200 mil empresas estão sendo cobradas por isso. De acordo com reportagem do "Bom Dia Brasil", essa situação inclui contas ativas, de trabalhadores que ainda têm vínculos com essas empresas, e as inativas, de quem pediu demissão e agora tentar receber o dinheiro. 

Outra situação também começa a preocupar trabalhadores que estão tentando consultar o saldo das contas inativas. Em alguns casos, a conta existe, mas tem alguma inconsistência, como a ausência da data de encerramento do contrato de trabalho. Se o trabalhador não conseguir apresentar um documento que comprove o fim do vínculo empregatício, ele pode não conseguir sacar o dinheiro. A orientação do governo é que os trabalhadores procurem o empregador e cobrem o depósito dos valores atrasados. Outro caminho é buscar o sindicato da categoria ou ainda uma superintendência regional de trabalho. 

Muitas pessoas procuraram a Caixa na semana passada porque, ao consultar o saldo da conta inativa do FGTS pela internet, foram informados de que não havia nada a receber. Alguns trabalhadores não encontraram suas contas inativas no site da Caixa, mas conseguiram encontrar as contas no aplicativo. O G1 fez uma consulta no site usando o NIS de um trabalhador e não encontrou contas inativas disponíveis para saque. Ao repetir a consulta pelo aplicativo, o sistema mostrou quatro contas inativas. Outro problema comum de quem consultou suas contas do FGTS na internet foi a divulgação de contas de empregos anteriores como ativas. 

PF diz que Lula e Dilma cometeram crimes para barrar Lava Jato


Um relatório da Polícia Federal acusa os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff de cometer obstrução de Justiça. O documento assinado pelo delegado de Polícia Federal Marlon Oliveira Cajado dos Santos, do Grupo de Inquéritos da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), também atribui ao ex-ministro Aloizio Mercadante os crimes de tráfico de influência e também obstrução de Justiça. 

A acusação sustenta que Dilma "embaraço ao avanço da investigação" ao nomear Lula para o cargo de ministro-chefe da Casa Civil em março de 2016. No caso de Mercadante, a PF lembra a conversa gravada com o ex-chefe de gabinete do ex-senador Delcídio Amaral, na qual o então ministro tentou barrar a delação premiada de Delcídio. 

Como os inquéritos estão no STF, o relatório sugere o declínio da competência dessa parte da apuração para a Justiça Federal do Distrito Federal para que Mercadante, Lula e Dilma possam ser denunciados na primeira instância judicial. O material de 47 páginas foi encaminhado ao ministro do STF Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo, e ao procurador-geral da República Rodrigo Janot.

Mais de 800 presos provisórios são soltos durante mutirão carcerário na Bahia

Na primeira etapa do mutirão carcerário realizado pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), 827 presos provisórios foram soltos, segundo balanço divulgado pelo órgão nesta segunda-feira (20). 

De acordo com os dados, a primeira etapa do mutirão foi concluída com a análise de 2.754 processos referentes a presos provisórios em todo o estado. 

Os números são relativos ao trabalho realizado em 81 comarcas no período entre 23 de janeiro e 10 de fevereiro deste ano. De acordo com o TJ-BA, a ação reúne 211 magistrados das varas criminais até 20 de abril, sob a coordenação do Grupo de Monitoramento e de Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF), com colaboração das assessorias especiais da Presidência, da corregedoria Geral da Justiça e das Comarcas do Interior, além do suporte da Diretoria de 1ª grau do Tribunal.

Os números gerais do balanço parcial se referem ás prisões mantidas, relaxadas ou revogadas, com ou sem medidas cautelares. Os juízes que atuam no mutirão carcerário terão de informar novo balanço referente ao trabalho realizado até o próximo dia 20 de março. Segundo o Tribunal de Justiça da Bahia, o mutirão carcerário foi instalado no contexto da atual crise do sistema carcerário brasileiro, atendendo à Portaria Conjunta nº 1 publicada no último dia 18 de Janeiro pela presidente Maria do Socorro Barreto Santiago, pelo corregedor Geral da Justiça, desembargador Osvaldo Bomfim, e pela corregedora das Comarcas do Interior, desembargadora Cynthia Resende. 

A ação tem por objetivo revisar a legalidade da manutenção das prisões provisórias, agilizar o julgamento dos processos que envolvam pessoas privadas de liberdade e verificar os benefícios relativos à execução penal.

20 de fev de 2017

Carla Minhoca ex-dançarina de Silvano Salles é presa por levar mulheres para se prostituir na Europa

Foto: Salvador Dez.

Um grupo criminoso acusado de fazer parte da rede de uma rede internacional de tráfico de seres humanos e favorecimento à prostituição foi desmontado pela Polícia Federal nesta semana. Eles agiam desde 2010 e levou para a Europa mais de 150 mulheres nesse período, segundo as investigação. As informações foram divulgadas pelo Fantástico. 

Durante a operação foram presas 15 pessoas em Fortaleza, Itália e Eslovênia na quarta-feira (15). Os mandados de prisão foram expedidos pela 32ª Vara da Justiça Federal no Ceará. Na Operação Marguerita, a PF teve a parceria das polícias da Itália, da Eslovênia e também da Interpol. Se condenados, os envolvidos com a quadrilha podem pegar 25 anos pelos crimes de tráfico internacional de pessoas, associação criminosa e lavagem de dinheiro. 

A ação começou ainda de madrugada. Em um condomínio da Avenida Beira-Mar, em Fortaleza, a Polícia Federal prendeu os eslovenos Vito Camerník e Tíne Mótoh, suspeitos de fazer parte da rede que explorava brasileiras na Itália e na Eslovênia. Três italianos – Marco Paolo Villa, Flávio Frúgis e Pasquale Ferrante – também foram presos.

Brasileiros que trabalhavam para a quadrilha também foram presos na Itália e na Eslovênia. Com a ajuda da Interpol e dos adidos da Polícia Federal na Embaixada em Roma, a polícia italiana prendeu três brasileiras acusadas de fazer parte da quadrilha: a dançarina baiana, Carla Sueli Silva Freitas, conhecida como Carla Minhoca, Dayana Paula Ribeiro da Silva - conhecida como Paloma, e Emanuella Andrade Bernardo. 

Carla, Dayana e Emanuella ainda não foram extraditadas ao Brasil. Cada programa custava 200 euros (cerca de R$ 620) e a quadrilha ficava com metade desse dinheiro. Explorando 20 brasileiras, eles podiam ganhar 10 mil euros por dia (cerca de R$ 65 mil). O esquema utilizava várias agências de turismo. 

Uma delas, do italiano Marco Paolo Villa, um dos presos na operação. Segundo a polícia, a agência financiava as passagens das brasileiras que, depois, tinham de reembolsar o valor - se prostituindo. “Ela às vezes vai consciente de que vai ser explorada sexualmente, mas não de vai ter a liberdade cerceada.

Porque quando chega no local de destino os documentos são apreendidos, e ela já chega com uma dívida enorme, de tudo que foi contraído aqui”, explica Alessandra Xavier Nunes, que integra o Ministério da Justiça. As brasileiras voavam em aviões de empresas aéreas italiana que fazem voos fretados entre Fortaleza e Milão, na Itália. 

De lá, viajavam 400 quilômetros de trem até Gorítza, cidade italiana que fica na fronteira da Itália com a Eslovênia. Era na cidade eslovena de Nova Gorítza que elas se prostituíam. As brasileiras viviam na cidade italiana e usavam um hotel em Nova Gorítza, na Eslovênia, para se prostituir. 

O principal ponto era a boate eslovena 'Marguerita', que deu nome à operação da Polícia Federal. Na internet, a boate é apresentada como "um ótimo lugar pra relaxar e se divertir. A atmosfera prazerosa é complementada por banho turco, hidromassagem e uma surpresa quente". O site do estabelecimento diz que o horário de funcionamento é de 14h até 2h ou 4h, dependendo do dia.


A Polícia Federal diz que, na verdade, as brasileiras trabalhavam em dois turnos e também em uma segunda boate, a Faraon na mesma cidade eslovena. “Elas tinham que fazer no mínimo seis relações sexuais por dia. No horário lá de 7 da noite às 3 da manhã. Terminava lá na boate Marguerita, elas iam para a outra boate, Faraon, e lá também teriam que manter outras relações sexuais”, afirma a delegada. 


A Polícia não divulgou a identidade dos donos das duas boates. Um advogado que se apresentou em Fortaleza como amigo das brasileiras presas disse aos repórter Eduardo Faustini que elas não se manifestariam sobre o assunto. Todos os estrangeiros mencionados nessa reportagem foram contatados. 


O advogado do italiano Flávio Frúgis negas as acusações e diz que ele é apenas funcionários de uma empresa que vende passagens aéreas em Fortaleza. Também em nota, o advogado de Tíne Mótoh diz que toas as mulheres que foram para a Eslovênia foram por vontade própria, sabendo que iriam se prostituir e que Tíne não facilitou e nem colaborou em nada para que eventuais investigações sejam dirigidas contra ele. Já o advogado de Marco Paolo Villa não se manifestou. Fonte: Bocão News.
 

O Site Oficial de Camacan Copyright © -- Site criado em 25/06/2011 #Camacan Bahia# 2011/2015