3 de dez. de 2021

ACM Neto mira pontos fracos do PT baiano '' ‘Quem vai resolver as eleições são os baianos’



No embalo de uma versão repaginada do jingle "ACM, meu amor", que marcou a campanha de seu avô em 1990, o ex-prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto,  lançou ontem a  sua pré-candidatura ao governo da Bahia. Durante o evento - realizado  no Centro de Convenções de Salvador (CCS), e que reuniu centenas de lideranças comunitárias e políticas dos  417 municípios baianos, além de dirigentes do União Brasil  (partido que se formará a partir da fusão do DEM com o  PSL) - ACM Neto fez duras críticas  à gestão petista  e apontou algumas de suas principais  prioridades caso seja eleito no ano que vem:  melhorar  os indicadores de educação e saúde, gerar mais emprego e renda, estimular a economia regional e reduzir os índices de criminalidade no estado. Além disso, assumiu uma série de compromissos com a população.

"Compromisso de dedicação, de obstinação  e de máximo empenho na construção de um novo caminho para a Bahia, de um novo futuro para os baianos", afirmou o ex-prefeito. ACM Neto entra na disputa estadual como único nome capaz de derrotar o PT na Bahia, e está fortalecido pela sua projeção na política nacional, pavimentada pela aprovação de sua administração pelos soteropolitanos, que resultou na eleição de seu ex-vice-prefeito Bruno Reis.

O evento de lançamento da pré-candidatura, nesta quinta-feira (2), começou com uma coletiva à imprensa. ACM Neto falou sobre a campanha, a conjuntura nacional, as eleições presidenciais  e as possíveis alianças visando o pleito do ano que vem (leia mais ao lado). Na sequência,  acompanhado de seus pais Antonio Carlos Júnior e Maria do Rosário Magalhães, da irmã Renata Correia, da esposa Mariana, das filhas Lívia e Marcela, e do prefeito Bruno Reis,  ele se dirigiu até a Asa A do centro de convenções. Foi recepcionado e aplaudido com entusiasmo   pelos presentes.

Durante a coletiva de imprensa, o ex-prefeito ACM Neto descartou  a possibilidade de influências externas afetarem a disputa na Bahia. “Estamos discutindo o projeto para a Bahia. Eu lamento que algumas pessoas na política, não estou aqui me dirigindo a ninguém,  subestimem a inteligência do cidadão, do eleitor baiano,  e fiquem com a cabeça no passado, de achar que alguém vai vir de fora e resolver a eleição na Bahia. Isso vale para qualquer um. Para  Bolsonaro, Lula, qualquer um. Quem vai resolver as eleições na Bahia são os baianos”, declarou.
 
Neto lembrou  que é um político que respeita "posicionamentos institucionais", pois passou  oito anos na Prefeitura de Salvador e governou a cidade com dois governadores do PT e três presidentes de partidos inteiramente distintos, e não houve nenhum  prejuízo para a cidade.

"Então acabou essa história, e aquele velho discurso cansado de que o prefeito ou  governador tem que ser do mesmo partido de A, B ou C. Eu  mostrei que isso não é verdade. E mais ainda: mostrei no período mais sério dos oito anos que passei na prefeitura, que foi durante   a pandemia, como eu tenho espírito público, porque eu fui procurar o governador do estado para trabalharmos em conjunto e isso virou uma referência para o Brasil".  
 
Bruno Reis foi o primeiro a discursar.  Na sequência, falaram o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, e o futuro presidente do  União Brasil Luciano Bivar. Em seguida, foi exibido um vídeo de Neto. E então, um dos momentos mais surpreendentes  da solenidade: a apresentação do jingle da campanha. O  samba reggae "ACM, meu amor",   composto por Vevé Calazans e Gerônimo,  que embalou a vitoriosa campanha de Antônio Carlos Magalhães na disputa pelo governo do estado em 1990, foi resgatado. A plateia  cantou, dançou, fez coreografias e saltou o grito de "Neto governador".

Emocionado, o ex-prefeito iniciou  seu discurso com uma provocação:   "Qual é o tamanho do sonho de vocês para a Bahia?", perguntou. Uma pequena pausa e ele emendou: "Eu tenho a mais firme convicção de que a nossa candidatura pode trazer um novo momento para a Bahia". Ele lembrou de sua eleição para a Prefeitura de Salvador, como encontrou a cidade, a descrença das pessoas e as dificuldades financeiras para tocar projetos estruturantes.

"Deu aquele frio na barriga. Mas eu só tinha um pensamento na cabeça: 'Eu não posso e não vou decepcionar essas pessoas. Eu não vou decepcionar Salvador'. Graças a Deus, com oito anos de trabalho incansável, conseguimos dar a volta por cima. Hoje Salvador é outra cidade, mesmo reconhecendo que ainda há muito trabalho pela frente", afirmou.

No plano estadual, ele  reconheceu  que houve avanços na Bahia durante a gestão do PT.  "Precisamos ter a honestidade intelectual e a humildade de reconhecer que houve avanços, mas  eu também preciso ter a honestidade e sobretudo o respeito com a verdade para dizer que poderíamos, sim, ter avançado muito mais", ressalvou. Neto fez questão de deixar claro que, se eleito, irá concluir as obras em andamento e continuar os projetos que estão dando certo.

Críticas
Daí em diante, não poupou críticas à gestão petista.  ACM Neto  disse que a Bahia é hoje  líder no ranking de homicídios no país e está em último lugar no Ideb do Ensino Médio. "Somos campeões da violência e lanterninhas na educação. Vejam que absurda inversão de valores", pontuou. E continuou criticando o "legado" do PT nas áreas de educação e saúde.  

"Depois de 15 anos de governos petistas, o legado que temos é este: o pior ensino médio público do país. E enquanto a educação estadual segue  piorando, a violência escalou", afirmou, para acrescentar: "E prestem bem atenção: não é mera coincidência que a Bahia seja campeã nacional dos homicídios e esteja na rabeira do ranking da educação. Estas duas realidades estão obviamente conectadas. Também não é coincidência que as greves de policiais e de professores tenham ficado gravadas em nossa memória como marcas dos governos de Jacques Wagner", alfinetou.

Em outro momento de seu discurso, o ex-prefeito assinalou que obras de infraestrutura fundamentais para o desenvolvimento da Bahia seguem no papel, como a duplicação da BR-101 e a construção da Ponte Salvador-Itaparica. Destacou ainda que a Bahia vem perdendo espaço na economia do Nordeste. O estado   já chegou a responder por  38% de toda a riqueza gerada na região. Hoje, esse percentual não passa de 28%.

Prioridades
Com slogan "A Bahia pode mais", ACM Neto então apontou, caso seja eleito em 2022,  suas prioridades e metas. A educação, enfatizou ele, será a prioridade  "número um".  "Trabalharemos nos diversos níveis, com obsessão pela qualidade do ensino e foco na expansão do ensino de tempo integral", destacou.

Na área de segurança pública, Neto prometeu  enfrentar o crime com todo o rigor da lei e com inteligência, sem abusos, porém com muita firmeza.  "E prestem bem atenção no que eu vou dizer:  todos os exemplos bem-sucedidos de redução dos índices de criminalidade, no Brasil, têm um fator em comum:  a liderança, o comando e o exemplo do governador", afirmou o democrata.

O ex-prefeito  se comprometeu  em desenhar um planejamento estratégico para cada região do estado, estabelecendo metas de crescimento econômico e desenvolvimento social. "Em cada uma de nossas regiões, vamos convocar as forças produtivas  para criar ambientes de atração de investimentos, de estímulo aos novos negócios.  O que tudo isso vai significar? Emprego, emprego e  emprego", reforçou.

Na área da saúde, disse que a regionalização é o caminho. A atenção à saúde, destacou,  tem que ser pensada e organizada como uma rede, com núcleos regionais bem estruturados e interconectados, com gestão informatizada de toda a rede de assistência. E voltou a falar em "compromisso" com o povo baiano.

"O compromisso que assumimos com a Bahia hoje (ontem) é o de desenhar um plano para o futuro. Um plano ambicioso de crescimento econômico, geração de emprego e duro enfrentamento às desigualdades sociais e regionais", disse o democrata.

Antes de encerrar a sua fala, ACM Neto lembrou o legado e o exemplo de seu avô Antônio Carlos Magalhães. "Eu cresci vendo ACM lutar pela Bahia, lutar pelos baianos.  Não havia obstáculo que resistisse diante da vontade e da determinação que ele tinha de fazer a Bahia crescer, de colocar a Bahia em lugar de destaque no cenário nacional. Ele projetou talentos para o Brasil e realizou governos transformadores.  É no exemplo dele que eu encontro a certeza  de que a Bahia pode muito mais. Ele nos mostrou que podemos e devemos sonhar grande".

Durante a coletiva de imprensa, o ex-prefeito ACM Neto descartou  a possibilidade de influências externas afetarem a disputa na Bahia. “Estamos discutindo o projeto para a Bahia. Eu lamento que algumas pessoas na política, não estou aqui me dirigindo a ninguém,  subestimem a inteligência do cidadão, do eleitor baiano,  e fiquem com a cabeça no passado, de achar que alguém vai vir de fora e resolver a eleição na Bahia. Isso vale para qualquer um. Para  Bolsonaro, Lula, qualquer um. Quem vai resolver as eleições na Bahia são os baianos”, declarou.
 
 Neto lembrou  que é um político que respeita "posicionamentos institucionais", pois passou  oito anos na Prefeitura de Salvador e governou a cidade com dois governadores do PT e três presidentes de partidos inteiramente distintos, e não houve nenhum  prejuízo para a cidade.

"Então acabou essa história, e aquele velho discurso cansado de que o prefeito ou  governador tem que ser do mesmo partido de A, B ou C. Eu  mostrei que isso não é verdade. E mais ainda: mostrei no período mais sério dos oito anos que passei na prefeitura, que foi durante   a pandemia, como eu tenho espírito público, porque eu fui procurar o governador do estado para trabalharmos em conjunto e isso virou uma referência para o Brasil".  

Mandetta  e Caiado elogiam gestão

Lideranças nacionais do DEM estiveram, ontem, em Salvador, para prestigiar o lançamento da pré-candidatura de ACM Neto ao governo da Bahia. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, disse que o ex-prefeito de Salvador é um jovem que mostrou sua capacidade de gestão. "Como parlamentar foi líder de bancada e soube, com conteúdo, debater todos os temas nacionais. Esta cidade [Salvador] assistiu a uma verdadeira transformação. Algo impressionante o que ele fez. Salvador era uma cidade suja, largada, de repente ele teve a capacidade de gerenciamento, de articulação política, e a cidade passou a ter vida e todas as pessoas que por aqui passam reconhecem esse legado que Neto deixou".

Caiado disse ainda que a candidatura de ACM Neto tem tudo aquilo que a Bahia deseja. "Ou seja, um cidadão que tem credibilidade nacional, já mostrou sua competência administrativa e política e, sem dúvida nenhuma,  a Bahia vai voltar a brilhar no cenário nacional com ele governador", elencou.  Ele disse que a população baiana deseja que Neto replique o que fez em Salvador, durante sua gestão, para toda a Bahia.

Já o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou  que  a expertise de ACM Neto como prefeito o legitima como futuro governador: "A Bahia merece Neto, ele vai ser o melhor governador da Bahia, como foi o melhor prefeito da história de Salvador", afirmou. "Fomos colegas na Câmara dos Deputados. Era liderado por ele, ainda muito jovem. O melhor tribuno, o mais aplicado, um homem respeitado", acrescentou.

Mandetta contou que como  ministro da Saúde  recebia prefeitos de todos os lugares do Brasil. "Os melhores projetos, as melhores prestações de contas eram de Salvador. Tinha-se prazer de liberar recursos porque a gente sabia que ia chegar ao povo de Salvador que tinha um prefeito que era extrememente focado em suas pessoas, enfim em tudo aquilo que significa cidadania", afirmou.

Futuro presidente do União Brasil, o pernambucano Luciano Bivar  disse que era uma honra participar da pré-candidatura do "melhor prefeito do Brasil". Ele afirmou que ACM Neto foi um dos principais arquitetos do União Brasil, que será o maior partido do Brasil em número de parlamentares. "Trata-se de um grande líder, um homem determinado e certamente será um grande governador. Tenho absoluta convicção de que ele será eleito", afirmou. 

Em seu discurso, o prefeito Bruno Reis lembrou a vitoriosa trajetória política de ACM Neto, iniciada há 22 anos. De lá para cá, Neto  foi três vezes deputado federal, prefeito de Salvador por duas gestões  e atualmente é presidente nacional do DEM. Com a criação do União Brasil, será o secretário-geral do partido. "Na Câmara, se destacou como um dos mais atuantes e brilhantes parlamentares", afirmou. "Era o deputado que mais levava obras e recursos para os municípios, se tornou líder de seu partido", disse.

Bruno destacou ainda a gestão de ACM Neto à frente da prefeitura. "Foram oito anos consecutivos como o melhor prefeito do Brasil. Saiu da prefeitura com quase 90% de aprovação e fez desse aqui [Bruno Reis] o prefeito mais votado nas capitais do Brasil, eleito em primeiro turno", afirmou. "ACM Neto reconstruiu esta cidade. ACM Neto está pronto, não há no Brasil um quadro político tão qualificado como ele. Este sonho [de ser governador] não é só seu ACM Neto é de todos deputados, vereadores, seus amigos, meu, é de milhões de baianos que estão esquecidos, desempregados, no desalento, é da nossa juventude, é de todos nós que querem uma Bahia grande".

Antônio Carlos Júnior, ex-senador e presidente do conselho de administração da Rede Bahia e pai de ACM Neto, disse que o evento   foi "emocionante" e mostra que ACM Neto está credenciado para ser o próximo governador da Bahia. "O evento tocou muito nas pessoas presentes, que demonstraram estar com ele nesta caminhada e reconhecem a capacidade dele. Foi um evento marcante". 

Íntegra do discurso de ACM Neto


Baixe o APP RadiosNet em seu celular ou tablet e ouça nossa rádio em qualquer lugar
 

Camacan Bahia Copyright © -- NOTÍCIAS DO BRASIL E DO MUNDO! #Camacan Bahia# 2019