16 de mar de 2016

Em Brumado na Bahia um Homem é preso por racismo contra atriz Taís Araújo e Maju

A Polícia Civil prendeu na manhã desta quarta-feira (16), na cidade de Brumado, no centro-sul do estado, Tiago Zanfolin, de 26 anos. Ele é um dos investigados pelo crime de injúria racial contra a atriz Taís Araújo e a jornalista Maria Júlia Coutinho, ambas da TV Globo.


A Operação Cyberstalkin é uma ação da Polícia Civil do Rio de Janeiro, em parceria com Bahia. Outros mandados de prisão e apreensão também foram cumpridos em São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.
Zanfolin é funcionário de uma loja de venda e manutenção de equipamentos de informática e estava em casa quando foi preso. Segundo a polícia, ele não esboçou nenhuma reação e foi preso temporariamente. No imóvel, foram apreendidos um notebook, uma CPU e um celular.
Segundo o delegado Leonardo Rabelo, coordenador da 20ª Coordenadoria da Polícia Civil no Interior (Brumado), Zanfolin é integrante de uma organização criminosa, que, pela internet, fez vários ataques racistas contra atrizes, jornalistas e apresentadoras, como Taís Araújo, Sharon MenezesChris Vianna, Maria Júlia Coutinho, Xuxa Meneghel e Angélica. Zanfolin deve responder pela prática dos crimes de injúria racial, racismo e associação criminosa.
No total, 11 mandados de busca e apreensão e quatro de prisão em seis estados foram cumpridos na manhã de hoje. A investigação foi realizada pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), do Rio, e, em Brumado, contou com o apoio das unidades policiais da 20ª Coorpin.RTEmagicC_4f0e4a6a91.jpg
Ataques na web
Taís Araújo se tornou alvo de comentários racistas, em outubro do ano passado, em uma foto no Facebook. A publicação recebeu os comentários preconceituosos de diferentes perfis. Após o racismo, a hashtag #SomosTodosTaisAraujo, em defesa da global, virou o assunto mais comentado no Twitter.
“Absolutamente tudo está registrado e será enviado à polícia federal. E eu não vou apagar nenhum desses comentários. Faço questão que todos sintam o mesmo que senti: a vergonha de ainda ter gente covarde e pequena nesse país, além do sentimento de pena dessa gente tão pobre de espírito”, escreveu Taís na época.
Entre os termos utilizados pelos internautas que atacaram a atriz estão “cabelo de esfregão”, “negra escrota” e “macaca”. “Entrou na Globo pelas cotas”, disparou um usuário do Facebook. “Já voltou pra senzala?”, comentou outro.
Em julho do ano passado, a jornalista Maria Júlia Coutinho também foi vítima de racismo na internet. Na ocasião, o “Jornal Nacional” abordou o assunto e Willian Bonner mostrou apoio à colega do telejornal utilizando o termo #SomosTodosMaju.RTEmagicC_8f7c50ecef.jpg
“Só conseguiu emprego no ‘Jornal Nacional’ por causa das cotas. Preta imunda”, dizia um dos comentários. “Não tenho TV colorida para ficar olhando essa preta não”, escreveu outro internauta.http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/bonner-interrompe-jn-ao-vivo-para-denunciar-racismo-contra-garota-do-tempo/?cHash=878abf29dc5c327995d5ef34b19c7f47
Maju se manifestou e afirmou que está acostumada a lidar com o racismo. “Eu já lido com preconceito desde que eu me entendo por gente. Claro que fico indignada e triste com isso, mas eu não esmoreço”, afirmou a jornalista.RTEmagicC_4a882ae3e0.jpg
Em novembro, a atriz Cris Vianna também foi alvo de comentários racistas em uma foto, postada em setembro, na sua página oficial no Facebook. “Já usou esse cabelo para lavar a casa hoje, africana?”, disse um usuário. Depois, em dezembro, a atriz Sheron Menezes recebeu diversas mensagens no Instagram. O artista publicou um texto fazendo um desabafo sobre o acontecimento.”Desprezíveis Racistas, não adianta entrar na minha página e escrever absurdos, xingamentos e agressões pois vão ter que engolir a mim e a tantas outras pessoas negras em nosso país!”, escreveu Sheron.(Correio)
 

Camacan Bahia Copyright © -- Site criado em 25/06/2011 #Camacan Bahia# 2011/2015