12 de jan. de 2016

Canavieiras: Mastro de São Sebastião é levado por cortejo e erguido na Capelinha


Turistas se uniram aos canavieirenses para participar do tradicional cortejo da Levada do Mastro de São Sebastião, festa realizada anualmente no dia 11 de janeiro. O Mastro, ou “Pau de Bastião”, como é chamado carinhosamente pela população, saiu do Cais do Porto, no Sítio Histórico, em direção à praça da Capelinha, onde é erguido pelos carregadores. Festejo religioso que a cada dia ganha contornos profanos, faz parte do calendário turístico e cultural de Canavieiras e tem sido ampliado a cada ano. Logo após a chegada do Mastro na praça da Capelinha, os carregadores iniciam um giro pela praça, depois colocam a bandeira com a foto de São Sebastião no lado de cima até começarem a erguê-lo e enfincá-lo no buraco. Enquanto isso, um trio elétrico com as bandas contratadas começam a tocar música, ao passo que são feitos os preparativos para a levantada do mastro. Este ano, para os festejos do Mastro de São Sebastião, a Prefeitura de Canavieiras contratou as bandas Realce, Risco de Amar e Som de Milionário para animar a festa. No cortejo, a animação também ficou por conta do Grupo de Capoeira do Mestre Galego, o Som Metálico do Sambão do Camarão e as filarmônicas Lyra do Comercio e 2 de Janeiro. Durante todo o percurso, as pessoas se juntam ao cortejo, que chega à praça da Capelinha com mais duas mil pessoas. O trajeto do Cortejo também é uma tradição: sai do Cais do Porto, passando pelas ruas General Pederneiras, Beco do Himério (Cavalcante), Praça do Cacau, Rua 13 (Octávio Mangabeira) até as imediações do Colégio Osmário Batista, seguindo pela Travessa Getúlio Vargas (Beco da Capelinha), chegando à Praça Armindo de Castro (Capelinha). Enfeitado com folhas de mangues, reza a lenda que às pessoas de fé bastam retirar uma daquelas folhinhas e guardar na carteira para que não tenham problemas financeiros durante todo o ano. As folhas também são tidas como miraculosas e “servem” para curar os mais diversos tipos de males que acometem a população. Na passagem, o Mastro de São Sebastião é reverenciado pelas pessoas, que fazem questão de pegá-lo e até fazer chá da casca, por acreditar ser miraculoso. Contam as pessoas mais idosas, que as folhas que ornamentam o mastro, caso sejam guardadas na carteira, é certeza de fartura financeira. Tradição de 150 anos - Em Canavieiras, a Puxada do Mastro de São Sebastião remonta um passado de 150 anos, 60 deles coordenado por Trajano
Barbosa. É ele quem durante todos esses anos escolhe o pau na mata, corta e traz para a cidade, preparando-o com folhas de mangue, conforme a tradição. Além dos festejos a São Sebastião no centro da cidade, o Santo também é reverenciado no bairro da Atalaia, com uma celebração eucarística da palavra na Igreja de Santo Antônio da Atalaia e café da manhã, quando os homens se dirigem ao mangue para cortar dois mastros. Diferentemente do que ocorre em outros locais, na Atalaia, no dia 12 de janeiro, são hasteados dois mastros: um para os adultos e outro para as crianças, como manda a tradição. Os mastros são enfeitados e levados à praça da Igreja de Santo Antônio, onde são erguidos.





 

Camacan Bahia Copyright © -- NOTÍCIAS DO BRASIL E DO MUNDO! #Camacan Bahia# 2019