10 de mar de 2015

Dilma comenta protestos e diz que "3º turno" seria "ruptura democrática"

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (9) que é preciso ter "razões para um impeachment" que não um "terceiro turno". Para ela, este "terceiro turno das eleições" não pode ser aceito a não ser que se deseje "uma ruptura democrática". 

"Eu acho que há que se caracterizar razões para um impeachment, e não um terceiro turno das eleições", disse a presidente durante ato que marcou a sanção da Lei do Feminicídio, em Brasília.
A fala da presidente acontece depois de registro de "panelaços" em protesto durante o pronunciamento feito por Dilma na TV e rádio na noite de ontem. O protesto foi registrado em algumas capitais brasileiras e há manifestações contra Dilma marcadas para este final de semana por todo Brasil, inclusive Salvador.

Para a presidente, as manifestações são normais, mas a tentativa de forçar este "terceiro turno" eleitoral não. "O que não é possível no Brasil é a gente também não aceitar a regra do jogo democrático. A eleição acabou. Houve o primeiro e houve o segundo turno. O terceiro turno das eleições, para qualquer cidadão brasileiro (...) não pode ocorrer a não ser que você queira uma ruptura democrática", afirmou a presidente.
 

Camacan Bahia Copyright © -- Site criado em 25/06/2011 #Camacan Bahia# 2011/2015